Aguarde um momento...

Origem das Cãibras Musculares Após Atividade Física

27 de maio de 2014
origem-das-caibras.jpg

Dr. Leandro Gregorut

Antes de ser corrigido por um amigo meu que é revisor de teses de conclusão de curso, já explico que na grafia Portuguesa os termos Cãibra e Câimbra são sinônimos e igualmente corretos de usá-los. Significam, segundo o dicionário Michaelis: Contração involuntária e dolorosa de um músculo ou grupo de músculos.

Porque nós temos cãibras durante ou após a atividade física?

Classicamente a explicação é que a perda na transpiração de sais minerais tais como Sódio (Na+), Potássio(K+), Mg e Ca2+, é a responsável pela contração involuntária da musculatura envolvida na atividade física.

Atualmente alguns trabalhos científicos estão questionando essas afirmações.

Parece que há dois tipos de cãibras relacionadas aos exercícios:

  • As ocasionadas pela perda de sais minerais (principalmente Na+)
  • As ocasionadas pela fadiga ou sobrecarga muscular em exercícios extenuantes no qual há uma diminuição do limiar de excitação da contração muscular (o músculo contrai mais fácil).

A teoria da Cãibra ocasionada pela fadiga, explica que há uma alteração no sistema neurofisiológico da inibição da contração muscular, ou seja, o sistema que impede que os músculos contraiam sozinhos está debilitado, em associação com um período de hiperexcitabilidade neurológica ocasionada pelo exercício, a fibra muscular fica mais suscetível a contração, ocasionando o espasmo involuntário da musculatura. Normalmente esse tipo de cãibra ocorre alguns minutos ou horas após a prática esportiva, mesmo depois de o atleta ter ingerido uma quantidade adequada de líquidos repositores de eletrólitos. Os fatores predisponentes para esse tipo de cãibra são a falta de alongamento muscular, histórico familiar, falta de preparo físico, aumento súbito no volume ou intensidade de treino. Normalmente é de origem localizada no músculo e melhora com massagem, alongamento da musculatura envolvida e aplicação de gelo.

Atualmente a teoria da perda de Na+ e desidratação com a transpiração é aceita com ressalvas, pois alguns trabalhos com triatletas mostram que mesmo àqueles atletas com perdas consideráveis  de Na+ e desidratação moderada a grave não tiveram aumento da incidência de cãibras em exercícios executados com quantidade controlada de volume e intensidade, por outro lado atletas que apresentam uma grande quantidade de perda de Na+ na transpiração(alta concentração) têm um benefício na ingestão de tabletes de Sódio antes das provas, diminuindo o número e a intensidade dos episódios de cãibras na pratica esportiva.

Um dos trabalhos analisados demonstrou, em um estudo com triatletas praticantes de Ironman, que o aumento da intensidade do exercício realizado com a diminuição do tempo das provas foi um fator predisponente mais importante que a desidratação e a perda de Na+ na frequência dos episódios de cãibra. Mas há também o viés que esses atletas são altamente treinados para a reposição de agua e eletrólitos durante a prova.

É bem conhecido também que treinos e provas em situação de alta temperatura e humidade aumentam a transpiração, consequentemente a desidratação e a perda de sais minerais, aumentando a chance de episódios de espasmos involuntários como as Cãibras.

Os trabalhos científicos que abordei não falam sobre a ingestão de Potássio (K+), portanto a velha história de comer banana para se evitar a cãibra é questionável.

Alguns atletas se sentem melhor tomando Magnésio para a prevenção das cãibras, mas ainda não existe nada definitivo a seu respeito na eficácia de evitar a contratura muscular.

Em resumo:

  • Atletas com aumento do volume e intensidade de treino podem ser suscetíveis a episódios de cãibra mesmo repondo corretamente o Sódio e a perda de água na prática esportiva.
  • Alongamento é um fator que pode evitar a ocorrência ou diminuir a intensidade da cãibra.
  • Massagem, gelo e alongamento são os métodos indicados para o tratamento do quadro agudo de cãibra.
  • Atletas que tem uma perda significativa de Sódio na transpiração podem se beneficiar da ingestão de suplementos minerais antes das provas.
  • Não há comprovação científica de que a reposição de Magnésio e a ingestão de Banana evitam os episódios de cãibra.
  • O assunto ainda é controverso e merece maiores estudos para entendermos melhor.

Bibliografia:

1- Muscle Cramps during Exercise: Is It Fatigue or Electrolyte Deficit? Michael F. Bergeron, 1537-890X/0704/S50YS55 Current Sports Medicine Reports

2- Origin and development of muscle cramps. Minetto, M.A., A.Holobar, A Botter, and D. Farina. Exerc. Sport Sci.Rev.,  Vol. 41, No. 1, pp. 3Y 10, 2013

3- Factors associated with a self-reported history of exercise-associated muscle cramps in Ironman triathletes: a case-control study. Clin J Sport Med. 2011 May;21(3):204-10.

4- Increased running speed and previous cramps rather than dehydration or serum sodium changes predict exercise-associated muscle cramping: a prospective cohort study in 210 Ironman triathletes. Br J Sports Med. 2011 Jun;45(8):6

 

Faça download do pdf. Clique aqui.

A Movité é uma clínica especializada em Ortopedia e Medicina Esportiva, que atua com foco na qualidade de vida e na saúde integral de seus pacientes de forma individualizada e personalizada.

Contato

  • contato@movite.com.br
  • Whatsapp: (11) 94503-5124
  • Tel. Fixo 1: (11) 3256-1521
  • Tel. Fixo 2: (11) 3257-1104

Copyright Movite. Todos os direitos reservados. | Responsável Técnico: Dr. Gustavo Rocha Santos – CRM/SP: 100.554