Aguarde um momento...

Lesões Meniscais

24 de abril de 2019
lesoes-meniscais-2.jpg

O menisco é uma das estruturas mais lesionadas no joelho. A lesão pode ocorrer em qualquer faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é bastante resistente e elástico, as lesões geralmente ocorrem como resultado de um entorse do joelho. O menisco fica mais fraco, desidratado e com menor elasticidade com a idade e lesões podem ocorrer nos adultos como o resultado de um trauma de baixa intensidade, mesmo com movimentos usuais, tais como subir e descer uma escada ou ajoelhar-se.

O que é um menisco e qual a sua função.

Existem dois meniscos entre a tíbia (osso da perna) e o fêmur (osso da coxa) na articulação do joelho. O menisco medial (perto da metade do corpo), em forma de “C”, está no interior da parte articular medial do joelho. O menisco lateral, em forma de “U”, está na parte articular externa da articulação do joelho.

Estes dois meniscos atuam como amortecedores e estabilizadores em forma de cunhas no joelho ajudando os ligamentos do joelho, o ligamento cruzado anterior (LCA), o ligamento cruzado = posterior (LCP), o ligamento colateral medial (LCM) e o ligamento colateral lateral (LCL) a manterem a articulação alinhada na execução dos movimentos.

Essa atuação conjunta ajuda a dividir as forças que são transmitidas pela pela carga do peso do corpo ao se movimentar. O ato de andar desloca até duas vezes o peso do seu corpo sobre a
articulação. Correr desloca cerca de oito vezes o peso do seu corpo sobre o joelho. Quando o joelho se dobra, a parte posterior dos meniscos leva maior parte da pressão.

A cartilagem articular, material que cobre os ossos que compõem a articulação do joelho é lisa, escorregadia, macia e de consistencia sedosa. Ela permite que as superfícies em contato deslizem umas sobre as outras sem danificá-las, diminuindo o seu atrito.

Como os meniscos tem a função de distribuir as forças de pressão que atuam na articulação do joelho, eles protegem acartilagem articular de receber muita pressão sobre uma área pequena na
superfície articular. Sem os meniscos, as forças na articulação do joelho seriam concentradas em uma pequena área, levando a danos e degeneração da cartilagem articular, uma condição chamada de artrose.

Os meniscos adicionam estabilidade à articulação do joelho, convertendo a superfície da tíbia em um soquete raso, que é mais estável do que sua superfície plana. Sem os meniscos, o fêmur deslizaria por cima da superfície da tibia, sobrecarregando os ligamentos internos e externos do joelho, aumentando a instabilidade para andar e correr e consequentemente a chance de uma lesão
ligamentar.

A lesão do Ligamento Cruzado anterior (LCA), seria facilitada caso os meniscos não ajudassem a estabilizar o joelho.

Causas

Como acontecem as lesões meniscais?

Como acontecem as lesões meniscais? Lesões meniscais podem ocorrer em qualquer idade, mas as causas são um pouco diferentes para cada idade ou faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é uma estrutura bastante resistente e elástica. Lesões nos meniscos em pacientes abaixo de 30 anos, normalmente ocorrem como resultado de um entorse do joelho.

Na faixa etária mais jovem as lesões meniscais mais provavelmente são causadas durante alguma atividade esportiva. O mecanismo mais comum é o entorse do joelho durante uma mudança de direção, uma parada brusca ou, como no caso do futebol, o jogador crava a perna de apoio no campo, devido ao uso da chuteira com cravos, e roda a perna para dar o chute com a perna contra lateral. Esse movimento de rotação do joelho da perna de apoio faz com que a carga seja excessiva sobre o menisco, causando a lesão.

Com o passar dos anos, os meniscos enfraquecem ou degeneram-se com a perda da elasticidade, hidratação e até mesmo vascularização. As lesões mais comuns, nas faixas etárias dos adultos e idosos, são as lesões degenerativas, podendo muitas vezes serem ocasionadas por movimentos do dia a dia da pessoa, tal como abaixar-se dobrando o joelho, descer uma escada ou até mesmo um leve entorse por um desequilíbrio momentâneo.

Na maioria das vezes, não há uma condição específica para o joelho, que leva ao desgaste do menisco. Estas lesões degenerativas são comumente vistas como uma parte da condição geral da osteoartrite (artrorse) do joelho em adultos mais idosos.

Sintomas

Qual o sintoma de uma lesão do menisco?

O sintoma mais comum causada por uma lesão meniscal é a dor. A dor pode ser sentida ao longo da borda da articulação do joelho próximo aonde está localizado, ou a dor pode ser mais inespecífica envolvendo o joelho como um todo. É normal a referência de dor na parte posterior do joelho, principalmente para se abaixar, subir e descer escadas.

O joelho pode inchar, causando uma sensação de pressão e dor aos movimentos. Isso geralmente ocorre, nos casos de uma lesão aguda, pelo sangramento proveniente do menisco lesionado que se acumula dentro da articulação do joelho. O inchaço, na lesão cronica, deve-se ao acúmulo de liquido sinovial inflamado dentro do joelho. Isso, popularmente, é chamado de água no joelho.

Essa condição de inchaço (edema) não é exclusiva para lesões meniscais, uma vez que também pode ocorrer quando há um processo inflamatório, infeccioso ou uma lesão ligamentar. A articulação do joelho também pode travar se a lesão for grande o suficiente. Esse bloqueio articular deve-se à incapacidade de estender completamente o joelho devido a interposição de um fragmento do menisco lesionado na articulação, tal como um objeto interposto na dobradiça de uma porta.

As lesões meniscais, a longo prazo, podem causar outros problemas no joelho. Como a lesão é irregular, essas irregularidades podem aumentar o atrito ou fazer com que haja uma divisão desproporcional das forças que passam pelo joelho, causando pontos de pressão desiguais na cartilagem, que podem levar ao desgaste e a artrose precoce da articulação.

Diagnóstico

Como é feito o diagnóstico da lesão de menisco?

O diagnóstico começa com a história clínica e o exame físico. O seu médico irá tentar determinar onde a dor é localizada, se você já teve algum bloqueio, e se você tem qualquer alteração com o movimento do joelho. As radiografias do joelho (Raios-X) não irão mostrar o rompimento do menisco. Os raios X são principalmente úteis para determinar se outras lesões e deformidades estão presentes.

A ressonância magnética (RNM) é o exame de escolha para mostrar a lesão do menisco. A ressonância magnética usa ondas magnéticas em vez de radiação, para mostrar os tecidos moles do corpo. Esta máquina cria imagens que se parecem com fatias do joelho. Normalmente, este exame é feito para procurar lesões nos meniscos, na cartilagem ou nos ligamentos do joelho. Se a história, exame físico e os exames complementares indicam um rompimento do menisco, a artroscopia pode ser sugerida para confirmar o diagnóstico e realizar o tratamento do problema ao mesmo tempo.

A artroscopia é uma cirurgia que envolve a inserção de uma câmera de TV miniatura de fibra óptica na articulação do joelho, permitindo que o cirurgião ortopédico possa olhar as estruturas no interior da articulação. O artroscópio permite ao cirurgião ver a condição da cartilagem articular, os ligamentos, e os meniscos.

Tratamento

Há duas opções de tratamento para as lesões meniscais

Tratamento Conservador

O tratamento inicial para um rompimento do menisco se concentra em diminuição da dor e do inchaço no joelho. Repouso e medicamentos antiinflamatórios podem ajudar a diminuir estes sintomas. Caso o paciente apresente um inchaço muito grande, uma punção articular, para a retirada do liquido que se encontra dentro do joelho, pode ser sugerida pelo seu médico ortopedista. A punção terá a função de diminuir o inchaço, aliviar a dor e possibilitar a movimentação precoce da articulação que ajudará na reabilitação da articulação. O uso de muletas e o uso de uma órtese de imobilização podem ser sugeridos para aliviar a dor para andar. O tratamento fisioterápico é altamente recomendado para a diminuição dos sintomas. O uso de gelo, estimulação elétrica e exercícios orientados pelos fisioterapeutas ajudam a diminuir o inchaço, a ganhar os movimentos normais, a diminuir a dor e a retornar a andar normalmente.

O tratamento conservador está indicado nas lesões que acontecem na região periférica (zona vermelha) dos meniscos, pois devido a maior vascularização, apresentam uma possibilidade de cicatrização sem a necessidade de cirurgia. Caso a causa do problema esteja associada a lesões na cartilagem e a artrose do joelho, infiltrações com corticoesteróides ou condroprotetores podem ser sugeridas pelo seu médico para aliviarem os sintomas, no entanto a lesão do menisco não será tratada.

Tratamento Cirúrgico

O tratamento cirúrgico está indicado na falha do tratamento conservador, nos casos em que há interposição de um fragmento de menisco travando a articulação e nos casos em que a lesão ocorre na parte central (zona branca) e média (zona vermelho-branca) do menisco, pois devido a baixa vascularização, estas zonas apresentam baixo potencial de cicatrização espontânea.

Hoje em dia, a cirurgia indicada é a artroscopia de joelho, procedimento seguro e avançado que utiliza uma microcâmera com fibra ótica para acessar o joelho, de tal modo que são realizadas duas mini incisões de aproximadamente 0,5cm para que a cirurgia seja realizada.

O cirurgião, de acordo com o tipo da lesão pode optar por fazer três tipos de procedimentos:

1- Meniscectomia total – consiste na retirada de todo o menisco lesionado. Normalmente é realizada nas lesões complexas ou quando o paciente demorou muito tempo para optar pelo tratamento cirúrgico.

2- Meniscetomia parcial – consiste na retirada somente da parte lesionada, deixando o resto do menisco intacto. Dessa maneira, o menisco ainda continua a exercer sua função de estabilização e amortecimento da articulação.

3- Sutura do menisco – Por meio de instrumentos especiais a lesão meniscal pode ser suturada, caso apresente condições de cicatrização e viabilidade tecidual. Normalmente a sutura só recomendada para os casos em que a lesão meniscal foi ocasionada por um entorse do joelho e em pacientes jovens. Não está indicada nas lesões degenerativas.

Pós Operatório

A cirurgia de menisco, habitualmente, não é uma cirurgia que causa dor. O paciente é imobilizado por um enfaixamento e/ou por uma órtese para que o joelho permaneça imóvel no primeiro dia, de tal modo que possa diminuir o inchaço pós operatório. Devido a ser um procedimento seguro, a alta hospitalar é no mesmo dia ou no máximo na manhã seguinte ao procedimento. Caso tenha sido feita uma meniscectomia total ou parcial, o paciente poderá andar com o auxílio de muletas no primeiro dia pós operatório, já com descarga de peso sobre o joelho operado.

Caso tenha sido feita uma sutura no menisco, está indicada a ausência de carga na perna operada, ou seja, o paciente poderá andar com o auxílio de muletas mas não poderá apoiar o peso do corpo na perna operada por 4 semanas. Os pontos são retirados em uma semana e o tratamento fisioterápico deve começar após a orientação do seu médico.

Fisioterapia

O tratamento fisioterápico deve começar o quanto antes, pois o fisioterapeuta usará técnicas de mobilização, drenagem, analgesia e fortalecimento muscular que o ajudarão a andar normalmente alguns dias após a cirurgia.

A Movité é uma clínica especializada em Ortopedia e Medicina Esportiva, que atua com foco na qualidade de vida e na saúde integral de seus pacientes de forma individualizada e personalizada.

Contato

  • contato@movite.com.br
  • Whatsapp: (11) 94503-5124
  • Tel. Fixo 1: (11) 3256-1521
  • Tel. Fixo 2: (11) 3257-1104

Copyright Movite. Todos os direitos reservados. | Responsável Técnico: Dr. Gustavo Rocha Santos – CRM/SP: 100.554